Muitos me perguntam sobre a experiência que tive no incrível Salar de Uyuni, Bolívia. Como digamos que este é um dos mais importantes atrativos do país resolvi criar um post sobre a parte que o englobou quando estive por lá para ajudar vocês a planejar uma viagem a este lugar especial. Este roteiro pode ser encaixado em uma viagem em andamento na América Latina oriunda desde o Peru (que foi o meu caso, seguindo de Puno para Copacabana, na Bolívia, La Paz, e finalmente, Uyuni, cidade que iniciaria o passeio) ou mesmo desde La Paz, sede do governo boliviano, mas não a capital, que é Sucre, a primeira comum porta de entrada ao país por meio aéreo.

SAM_0320.JPG
Uyuni estava prestes a receber o pessoal do Rally Dakar na época que passei por lá

Salienta-se que há outras formas para realizar o passeio começando por outras cidades, como Tupiza, na Bolívia, ou San Pedro de Atacama, no Chile (que é o caminho inverso do que fiz por lá).

Muito bem, para começar, La Paz. A cidade está a 3660 metros de altitude. Alta, muito alta. Mais alta ainda é a cidade em que se chega na cidade, corretamente denominada de El Alto, que é onde fica o Aeroporto Internacional de…adivinhem qual o nome…El Alto! Lá a altitude chega aos 4000 metros acima do nível do mar, ou seja, é comum sentir os efeitos como dores de cabeça e enjôos, o famoso “mal das alturas”.

Como citei no início, La Paz poderia ser uma porta de entrada para a Bolívia, no meu caso, já vinha de Copacabana, logo, cheguei por via terrestre, também no bairro de El Alto. Me hospedei na região central de La Paz, no Wild Rover Hostel, um clássico Party Hostel com uma excelente estrutura, restaurante e bar, ótimo Wi-Fi, Staff excelente, quartos espaçosos assim como lockers, vários computadores para acesso, sem dúvidas um dos melhores que já estive. E serviu principalmente quanto à alimentação, pois não estava muito com a intenção de me aventurar por comer em alguns restaurantes bolivianos, de modo que comer no Hostel foi uma decisão super acertada pois os pratos eram excelentes!

Outro destaque para o Wild Rover vai para os banheiros, que são vários e ajudam a não causar congestionamento na hora de querer usá-lo, principalmente para os banhos. A vibe também é excelente, as festas foram animadíssimas e há uma agência dentro do hostel que você consegue comprar os principais passeios, assim como passagens de ônibus para as próximas cidades. Por lá conheceria muita gente legal, incluindo uma francesa que falava um português melhor que muito brasileiro. Lá conheceria também um dos parceiros que me acompanharia no passeio do Salar e que me indicou a agência para realizar o passeio que falarei mais adiante.

Vamos então com o roteiro:

1º Dia:

Saída do Brasil e chegada em La Paz. Os horários de vôos são uma incógnita, então é conveniente deixar este dia sem atividades, já que não se sabe a princípio o horário que se chegará por lá. Usar o dia também para fechar compra das passagens para Uyuni no dia seguinte – Recomendo a Trans Omar,  gostei do serviço, apesar dos maus relatos que existem na internet.

2º Dia:

Realizar Walking Tour na cidade (recomendo o ótimo pessoal do Red Cap City Walking Tour – http://www.redcapwalkingtours.com/en/activity/27878/red-cap-city-walking-tour—la-paz) É possível fazer o passeio das 11 da manhã ou das 14h.

Saída no período da noite para Uyuni (20h30), desde o Terminal de Buses de La Paz (No final da Av. Uruguay e esquina com a Av. Perú – Pode-se ir de Táxi do hostel para lá que sai coisa de 15, 20 bolivianos, ou ir a pé, apesar de desafiador foi o que fiz, uns 20 minutos de caminhada até lá) recomenda-se ter alguns pesos bolivianos já trocados, há poucas casas de câmbio em Uyuni.

 3º Dia

Chegada normalmente por volta das 6h30 da manhã em Uyuni. São aproximadamente 10 horas de La Paz até Uyuni, mas quando fiz este trecho eram por volta das 6 da manhã quando cheguei, saindo às 20:30 de La Paz.

Fechar o passeio quando chegar em Uyuni. Diversas agências o oferecem, fiz com a Thiago Tours. Eles normalmente até umas 8h30 pedem para que os interessados fechem o passeio, a saída normalmente ocorre entre 10h30 e 11h da manhã. Se já fechar, rola um tempo para dar uma andada por Uyuni, comer, comprar suprimentos como água (sim, muita água, não ache exagerado pessoas comprando galão para levar), produtos de higiene, snacks, pois não há como compra-los depois de iniciar o passeio.

Muitos me perguntam: e a refeições? Muito bem, na Thiago Tours, o próprio simpático motorista que preparava, além do café da manhã. Achei ambos muito bons, com direito a um ótimo spaghetti no último dia com vinho, muito acertado.

Há muitos relatos ruins da Thiago Tours na internet. De fato, são reais, principalmente os de cerca de dois anos atrás. Porém há cerca de um ano eles mudaram algumas coisas administrativamente o que melhorou e muito o serviço. Recomendaria sem dúvidas hoje em dia!

Saída para o passeio de Uyuni na manhã e primeiro pernoite no Salar. Neste primeiro dia normalmente são visitados o Cemitério de Trens, o vilarejo de Colchani, o Salar de Uyuni em si, o hotel de sal e a Isla Inca Huasi.

SAM_0323.JPG
Cemiterio de Trenes
SAM_0366.JPG
A famosa “Plaza de las Banderas”
SAM_0385.JPG
O Salar
SAM_0394.JPG
Isla Inca Huasi
SAM_0412.JPG
Isla Inca Huasi
SAM_0447.JPG
Fim de Tarde no Salar
SAM_0452.JPG
O local que ficamos no primeiro pernoite no salar, paredes de sal!

4º Dia:

Segundo pernoite no Salar. Neste dia normalmente visita-se o Deserto de Chiguana no sul do Salar para se ter a visão de alguns vulcões. Há paradas em alguns lagos ou “lagunas” para avistamento de flamingos e claro, muchas fotos. Visita ao Deserto de Siloli onde você poderá ver o “Arbol de Piedra”.

SAM_0465.JPG

SAM_0486.JPG
Uma das belas Lagunas do Salar
SAM_0499.JPG
Muchos Flamingos
SAM_0541.JPG
Arbol de Piedra
SAM_0560.JPG
Laguna Colorada

 5º Dia:

Neste dia final, visita aos gêyseres “Sol de Mañana” logo cedinho, prepare-se e se agasalhe bem pois foi a friaca mais intensa que peguei em toda a viagem. Também visita-se as águas termais onde é feita uma parada para uma relaxada nelas, e por fim, o Deserto de Dali e a Laguna Verde. Daí surgem duas opções: Regressar para Uyuni (aprox 6 horas de viagem) ou seguir para San Pedro de Atacama (Chile) por volta de 40 minutos. Se decidir voltar para Uyuni, a empresa te leva de volta; se decidir ficar para seguir até San Pedro de Atacama, tenha o transfer comprado para ir até lá, achei confuso para quem queria comprar lá na fronteira.

SAM_0572.JPG
Gêyser Sol de la Mañana

Se regressar a Uyuni, pode-se pernoitar por lá, voltar de ônibus a La Paz no dia seguinte e pegar o voo de volta ao Brasil.

6º Dia:

Chegada em La Paz e retorno ao Brasil.

Gastos:

Passagens Aéreas:

Referência São Paulo (GRU) – La Paz – ida e volta: R$ 1300,00 em média. É possível achar por menos? Sim. Por mais? Sim. Depende muito da época e de onde partirá seu voo rumo à Bolívia. Pode-se também pesquisar voos para Cochabamba, mas alerto que as frequências são menores, o que pode acarretar em maiores conexões e paradas.

Taxa de saída Do Aeroporto El Alto: US$ 25,00 – Aproximadamente 81 reais.

Transporte Aeroporto – Hostel: Entre 60 e 80 pesos bolivianos, usando Táxi, ou R$ 28,00 e R$ 38,00. Acho a forma mais segura e sem perrengues.

Hospedagem: 1 diária no Wild Rover Hostel, região central de La Paz: R$ 42,00 – Dorm 4 camas.

Gasto Diário em La Paz durante estada antes do Salar: R$ 100,00 (óbvio que depende do seu perfil de gastança, pode ser mais ou menos).

Transporte La Paz – Uyuni: 160 bolivianos + 2 bolivianos da taxa de saída do terminal de La Paz, aproximadamente 76 reais. Considerar este valor aproximado também no regresso a La Paz.

Tour de 3 dias do Salar de Uyuni: Com transfer para San Pedro de Atacama: 700 bolivianos ou 330 reais, aproximadamente.

Sem transfer para San Pedro: 650 bolivianos ou 305 reais, aproximadamente.

Se optar por ir até San Pedro somente para regressar ao Brasil, pode-se pensar em comprar ida do voo para La Paz e volta por Calama, algumas vezes o valor é menor, mas considere que deve-se adicionar ai o custo de transporte San Pedro-Calama e de Calama ao aeroporto. Eu optei por algo mais complicado pois ainda tinha alguns dias para ficar por lá. Fiquei três dias no Atacama, depois quatro em Iquique, mas para voltar ao Brasil diretão de San Pedro até Antofagasta, pode-se comprar passagem de ônibus pela TurBus por 6000 pesos chilenos, aproximadamente 30 reais, em uma jornada de 4 horas e de lá da rodoviária táxi ao aeroporto de Antofagasta.

O passeio do Salar inclui transporte em um 4×4 que cabe 6 pessoas + motorista, além das bagagens, dois pernoites e refeições (Café da manhã no segundo e terceiro dia, almoço no primeiro e segundo dia, jantar no primeiro e segundo dia).

Gastos durante o passeio não inclusos:

Isla Inca Huasi: 30 bolivianos ou 14 reais.

Reserva Nacional de Fauna Andina Eduardo Avaroa: 150 bolivianos ou 71 reais.

Outros gastos: Entenda-se inclui transporte, eventual pernoite em Uyuni e La Paz na volta, gastos com alimentação: R$ 300,00

Total: R$2400,00 aproximadamente. Considerando volta até Uyuni e voo de volta de La Paz até São Paulo. Lembrando que se conseguir cortar a estada em La Paz no primeiro dia, podem-se reduzir estes custos. Fica a critério também aumentar estes dias, La Paz oferece boas opções como os passeios do Monte Chacaltaya e Valle de La Luna que podem ser combinados em um mesmo passeio.

O local: Salar de Uyuni, Uyuni, Bolívia

Quando ir: Depende da experiência que você quer ter. Se gostaria de ver o maior espelho da terra, entre Março e Abril seria recomendado, porém maiores perrengues podem aparecer pois é a época das chuvas. Mas entre Julho e outubro é a melhor época, com muito sol e pouca chuva. No meu caso fui em Dezembro, não choveu e estava sol. Uma amiga foi algumas semanas depois e ainda sim não havia chovido.

Vacinas necessárias: Febre Amarela

Moeda: Boliviano

Vistos: Para brasileiros, só necessário Passaporte ou RG em bom estado. Recomendo fortemente o passaporte, afinal, passaporte com validade nunca é questionado em imigrações da vida.
O que levar:

Você provavelmente estará com toda sua bagagem de viagem. Mas é conveniente não esquecer:

Óculos de Sol
Chapéu/Boné
Protetor Solar (muito!)
Tênis confortáveis para caminhada
Roupa de Banho, toalhas (para a ida às Aguas Termais)
Lanterna
Papel Higiênico
Água (2 litros por dia é o recomendado)
Lanches
Extensão e adaptadores de tomada (extremamente útil principalmente na primeira noite onde há poucas opções para recarga dos equipamentos eletrônicos).

Lembrando que esta é apenas uma das sugestões de roteiro para se visitar o Salar. Há por exemplo, opção de ir de La Paz de trem até Oruro e de lá usar um ônibus em uma jornada de 4 horas até Uyuni. Há opção também de realizar um day-tour apenas no Salar partindo de Uyuni, porém apesar de ser uma opção bem mais econômica, você acaba por conhecer apenas um pouco do que é oferecido no primeiro dia, com foco a ida no meio do Salar.

Uma das melhores coisas do passeio de três dias é conviver durante este período com pessoas de todo o mundo. Tive sorte de contar com um grupo bem bacana para esta viagem proporcionando muitas risadas e histórias. Dois holandeses, um francês, um iraniano e outro brasileiro. Já foi incrível com uma galera “desconhecida”, com seus amigos então é muito mais marcante. Outra coisa lega foi a flexibilidade de nosso motorista, que sempre atendeu aos nossos desejos e parava onde queríamos quando víamos algum local bacana para fotografar.